O processo de lapidação é o que faz uma pedra preciosa assumir uma certa forma, exibir o seu brilho e cor, permitindo-lhe ser usada em jóias. Muitas vezes uma gema acaba passando despercebida pois só após esse trabalho que elas começam a refletir à luz, ganhando o brilho e a transparência pelos quais são famosas.

Lapidar nada mais é que cortar a superfície de uma pedra em diversas faces planas, conhecidas como facetas. Esta técnica requer uma grande experiência e conhecimento do artesão ou lapidador, cujo objetivo é mostrar as melhores características de uma pedra preciosa levando em conta sua cor, clareza e peso. É a lapidação que torna a pedra mais brilhante e mais valiosa.

Abaixo você vai conferir as principais lapidações existentes e suas diferenças.

Lapidação Brilhante

lapidacaodiamante

A lapidação brilhante, de formato redondo, é a mais popular entre elas, pois ela assegura que o máximo de luz seja refletido, criando brilho. As variações do contorno podem ser nos formatos oval, gota e navette (cuja forma lembra a de um “barco”), conhecidas como brilhantes modificados.

Lapidação em Degraus

lapidacaodegraus

Degrau é um outro tipo de lapidação, formado por vários degraus paralelos, como já diz o próprio nome. Os cantos mais frágeis das pedras podem ser removidos, criando pedras octogonais. A lapidação em degraus mais conhecida é a da esmeralda!

Lapidação Lisa

lapidacao03

O principal representante é o cabochon, que é um talhe simples usado para exibir as cores e os efeitos óticos de pedras preciosas. A parte superior é lapidada de forma arredondada, e a inferior é plana ou levemente convexa.

Para cada um dos tipos de lapidação existem diversas formas: redonda, ovalada, triangular, hexagonal, navette, entre muitas outras. É importante não confundir tipo de lapidação com formato (corte), pois duas pedras da mesma origem podem ter cortes e formatos diferentes e serem igualmente maravilhosas.